|borboletas-sempre-voltam|

|borboletas-sempre-voltam|

sábado, 10 de julho de 2010

"Brindo a casa. Brindo a vida, meus amores, minha família!"


"Façamos um brinde
a todas as coisas que o Senhor pôs na Terra
para nosso deleite e terror.
Brindemos à Vida."
(Caio F.)




- O bonito é já saber onde não se quer estar. É tarde demais pra desistir de ser feliz. E é tarde também pra querer esquecer certas coisas. Uma história bonita tem que ter drama. Consigo ler com orgulho até os piores capítulos e agradecer até o que doeu em mim. Consigo entender o papel de cada personagem que passou pela minha história, dos mocinhos aos vilões.
O tempo pode não curar uma dor, mas ele tira o que é incurável do centro das atenções. E esse mesmo tempo que, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha... sanou muitas das minhas dúvidas e criou novas dúvidas em mim. E eu continuo a procura de muitas respostas... vez ou outra, quando menos espero uma resposta bate na minha porta ou entra pela janela pra me alegrar ou me assustar ainda mais.
Já me senti feliz demais, mais até do que eu pensava merecer, mas eu merecia, eu mereço, todo mundo que faz o bem merece! Já me senti infeliz demais também, mais do que pensava poder suportar, mas ... cada um tem o que merece, ouvi um amigo dizer. E é por isso que eu não tenho pena nem dó de ninguém! E houve um tempo em que minha ocupação diária era tentar não morrer, eu sei que isso pode parecer excessivamente dramático, mas era assim! Também não quero que sintam pena de mim. Sei que cada capítulo dessa minha história foi e é essencial pra me deixar mais próxima de ser quem eu almejo ser.
Eu andei muito tempo com os olhos vendados e de braços cruzados, muito tempo armada, muito tempo na defesa. Eu queria me defender de todos os males do mundo, queria proteger o que eu já tinha conquistado, o que era meu por direito e mérito, e fechei a mão pro que poderia vir! Hoje eu descobri que a vida pode me reservar maravilhas, basta eu não me proteger tanto.
Eu continuo tentando andar em linha reta, mas já não me cobro tanto. Eu continuo cuidando da minha reputação, mas aprendi que devemos cuidar muito mais do nosso caráter, porque reputação é o que pensam que somos, caráter é o que somos, são as nossas escolhas... Caráter é o que falta pra muita gente! Continuo cuidando pra que sempre sobre em mim!
Eu continuo tentando fazer com que meus pais se orgulhem de mim. Sei que eles já se orgulham demais dos filhos que têm. Assim como eu e meu irmão nos orgulhamos de tê-los como pais. Apesar dos pesares, eu não trocaria minha família por nenhuma outra no mundo. Muito do que sou agora devo a eles. Eu cresci, mas eles ainda são meus heróis, meus exemplos de humildade, honestidade e caráter!
Eu continuo preferindo sofrer do que fazer com que outra pessoa sofra, mas eu aprendi a ser mais seletiva, a escolher por quem vale a pena sofrer. Eu continuo me recusando a acreditar que o mundo seja dos espertos, e por isso me elogiam de tonta, e eu fico até emocionada, porque continuo fraca pra elogios. Eu continuo distribuindo meu buquê de sorrisos, porque aprendi que a vida, apesar de bruta, é mágica! E eu continuo escrevendo minha história, capítulo a capítulo, dia após dia, fazendo o que eu acho certo e o que acredito, do jeito talvez torto que sei fazer.
E eu posso estar longe de saber quem eu sou ou aonde quero chegar. Mas eu sei que não é tarde nem pra me encontrar nem pra ser feliz. Sei que metade do caminho eu já percorri, porque embora um tanto perdida, eu sei muito bem o que eu não quero ser e aonde não quero chegar.
O bonito é não desistir de ser feliz!




Taila Ueoka.


(* Não posso deixar de falar que aí em cima tem um pouco de Caio, tem um pouco de Tati, tem um tanto de mim!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário