|borboletas-sempre-voltam|

|borboletas-sempre-voltam|

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Desperdício...



"Não tinha mais um dia a perder,
pois embora fosse muito cedo,
começou a suspeitar que era também desesperadamente tarde demais."
(Caio F.)


Outro dia começou e mais uma vez ele não está lá.
O outro lado da cama vazio como sempre foi, e a cabeça cheia de dúvidas.
Quanto tempo havia se passado desde a primeira promessa ainda não cumprida?
Os olhos marejados de lágrimas que não queriam mais cair.
Fez o papel de mulher, de amante, de amiga. Foi o porto seguro que ele buscava e nem sempre encontrou nele o porto seguro que merecia.
Quantas vezes se frustrou diante de tamanha covardia: como pode alguém amar tanto e não querer lutar por esse amor?
E a única explicação coerente era aquela em que ela não queria acreditar: nunca houver amor suficiente.
E pra viver um grande amor é necessário uma dose extra de coragem, sentimento, confiança e por quê não? de loucura.
Amor sem exagero não existe.
Ela já não tinha mais tempo para esperar uma decisão. Não suportaria dormir mais um dia naquela cama vazia. Não poderia mais sacrificar-se quando não via do outro lado que tudo isso era recíproco.
Quantos espaços vazios em sua vida. Espaços reservados para ele. E essa ausência a incomodava, doía. Dividí-lo a dividia também, a partia em pedaços. E ela sempre procurou juntar os cacos, colova-os um a um para que nunca tivesse que jogar fora um amor que poderia ter vingado. E não vingou. E não vingou-se. Porque onde há amor há perdão. E ela não se perdoaria se deixasse passar mais algum dia sem uma solução. Ela, enfim, tomou a decisão por ele. Decidiu desistir dessa relação. Decidiu, sabendo que sofreria, mas evitndo um sofrimento futuro. Já que o futuro que ela planejou pra eles não iria nunca acontecer.
Não há mais desculpas.
Outro dia começou e ela se deu conta que não tem mais nenhum dia a perder.
Pediu desculpas a ele e lhe mandou um último e-mail.
Pode ser que um dia ele se arrependa e decida voltar atrás.
E pode ser que nesse dia a cama dela já esteja, finalmente, ocupada.

Taila Ueoka.

Ps: 1 presente bacana!

Um comentário: